Expectativa de vida ao nascer: há grande variação entre os países

Expectativa de vida ao nascer: há grande variação entre os países

Países desenvolvidos têm expectativa de vida maior do que os em desenvolvimento.


Pesquisa realizada com o objetivo de analisar a relação entre a expectativa de vida e a idade em diferentes países, com base em dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) de 2020, se debruça sobre as disparidades existentes entre as nações, buscando compreender os fatores que influenciam essa relação.

A pesquisa teve como abordagem metodológica um estudo quantitativo, descritivo e analítico. Os dados foram coletados do site da OMS e consistem na expectativa de vida ao nascer para ambos os sexos em 183 países. A análise dos dados foi realizada por meio de técnicas estatísticas descritivas, como média, mediana, moda e desvio padrão, além da construção de um gráfico que ilustra a relação entre a idade e a expectativa de vida em diferentes países.

Os resultados da pesquisa indicam que a expectativa de vida ao nascer apresenta uma grande variação entre os países. Em 2020, a média global era de 72,8 anos, com a expectativa de vida mais alta no Japão (84,3 anos) e a mais baixa na Lesoto (53,7 anos). Dados que evidenciam que os países desenvolvidos geralmente possuem uma expectativa de vida mais alta do que os países em desenvolvimento.

As disparidades na expectativa de vida entre os países podem ser explicadas por diversos fatores, entre eles são apontados os seguintes:

Nível de desenvolvimento socioeconômico: Países com melhores condições de saúde, educação e acesso à alimentação geralmente apresentam uma maior expectativa de vida.

Acesso a serviços de saúde: O acesso a consultas médicas, exames, internações e outros serviços de saúde contribui para a prevenção de doenças e a promoção da saúde, impactando positivamente na expectativa de vida.

Fatores socioculturais: Hábitos alimentares, estilo de vida e acesso à informação também influenciam a expectativa de vida. Países com hábitos alimentares mais saudáveis, menor índice de tabagismo e alcoolismo, e maior acesso à informação sobre saúde tendem a ter uma expectativa de vida mais alta.

A análise da relação entre a expectativa de vida e a idade em diferentes países revela que existe uma grande disparidade entre as nações, principalmente entre países desenvolvidos e em desenvolvimento. Essa disparidade pode ser explicada por uma série de fatores interligados, como nível de desenvolvimento socioeconômico, acesso a serviços de saúde e fatores socioculturais.

Recebe as últimas notícias!

Não perca nenhuma notícia, receba cada matéria diretamente no seu e-mail!

Junte-se a 95 outros assinantes

Recomendações aos países

Com base nos resultados da pesquisa, são recomendados:

Investimentos em políticas públicas que promovam o desenvolvimento socioeconômico: Ampliar o acesso à educação, saúde, alimentação e outros serviços básicos é fundamental para reduzir as desigualdades e aumentar a expectativa de vida em países menos desenvolvidos.

Melhoria do acesso a serviços de saúde: Fortalecer os sistemas de saúde, investir em infraestrutura e na formação de profissionais de saúde, e ampliar a cobertura de serviços de saúde para toda a população são medidas essenciais para aumentar a expectativa de vida.

Promoção de hábitos de vida saudáveis: Campanhas de conscientização sobre alimentação saudável, prática de atividade física e os riscos do tabagismo e do alcoolismo podem contribuir para a mudança de hábitos e a promoção da saúde em diferentes países.

Foto de RDNE Stock project/pexels.


Portal do Envelhecimento

Compartilhe:

Avatar do Autor

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento escreveu 4215 posts

Veja todos os posts de Portal do Envelhecimento
Comentários

Os comentários dos leitores não refletem a opinião do Portal do Envelhecimento e Longeviver.

Descubra mais sobre Portal do Envelhecimento e Longeviver

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading