3ª Edição do Edital Acadêmico de Pesquisa está no ar!

3ª Edição do Edital Acadêmico de Pesquisa está no ar!

O Edital Acadêmico se encerra no dia 22 de dezembro. Não perca esta chance.


Até o dia 22/12/2023 pessoas físicas que possuam título superior em qualquer área, vinculados ou não a alguma instituição, poderão se inscrever na 3ª Edição do Edital Acadêmico de Pesquisa “Envelhecer com futuro”, mesmo já tendo outro apoio financeiro para seus projetos. O Edital é promovido pelo Itaú Viver Mais em conjunto com o Portal do Envelhecimento. A pesquisa pode ser feita tanto individual quanto coletiva, exceto projetos na categoria de R$25.000,00 (Categoria C), que exige que ela seja feita de forma coletiva. As demais categorias são: projetos com orçamento de R$ 9.000,00 (Categoria A) e projetos com orçamento de R$ 17.000,00 (Categoria B). No ato da inscrição, deve ser apresentada uma carta de intenção, expondo os motivos que levaram a se interessar pelo tema. A divulgação dos projetos selecionados ocorrerá no dia 16/02/2024.

Sobre o edital acadêmico

O Brasil está envelhecendo de forma inexorável e em ritmo acelerado. O Censo de 2022 mostra que a estrutura etária brasileira está em rápida transformação, e uma aceleração do aumento da população idosa de 60 anos e mais de idade: 32,1 milhões de pessoas, representando 15,8% da população total do país. Ou seja, o envelhecimento populacional do Brasil traz profundos desafios, pois o país carrega ainda a desigualdade social demonstrada em questões relacionadas à renda, raça, idade e gênero, passando pelo acesso à saúde, educação, saneamento básico, moradia, transporte, cultura, tecnologia e outros tantos aspectos que oferecem à população idosa um mau envelhecer. Compreender as razões e consequências dessas desigualdades e seus impactos nas velhices plurais é um caminho para se encontrar formas inovadoras que possam promover uma velhice mais digna, inclusiva e sustentável.

Este Edital visa ser uma fonte de apoio de estudos acadêmicos que viabilizem pesquisas na área da longevidade, pois a produção de conhecimento tem o potencial de indicar caminhos baseados na proteção dos direitos humanos e na política do envelhecimento ativo e seus quatro pilares: saúde, aprendizagem ao longo da vida, participação e segurança. Trata-se de uma forma de investimento social da iniciativa privada voltado à promoção da pesquisa acadêmica frente às céleres mudanças demográficas, atuando, assim, como propulsor do desenvolvimento de uma ciência aplicada a problemas reais, buscando proporcionar um envelhecer com futuro.

A 3ª edição do Edital Acadêmico de Pesquisa “Envelhecer com futuro” elegeu linhas de pesquisa específicas, relevantes para a integração da academia e da sociedade. A pesquisa, com início em 26/02/2024 e término em 31/10/2024, deve, necessariamente, se encaixar nas linhas descritas abaixo, e que os projetos contribuam com subsídios para a formulação de políticas públicas dirigidas à população idosa:

a) Educação e saúde financeiraCuidados com a perda econômica na velhice, gestão do dinheiro, gastos, empréstimos, poupanças e investimentos. Controle de endividamento, prevenção à violência patrimonial e golpes financeiros.

b) Segurança de acesso a bens e serviçosDeslocamentos. Transportes. Acesso a moradias, trabalho, novos negócios e serviços. Ambiências. Impacto dessas condições na interação social e no bom envelhecer.

c) Meio ambiente e desenvolvimento sustentávelEquilíbrio entre bem-estar e sustentabilidade. Efeitos das mudanças climáticas sobre a saúde das pessoas idosas. Educação ambiental. Sustentabilidade e longevidade. Papel dos mais velhos no cuidado ao meio ambiente saudável.

d) Envelhecimento e diversidade – A diversidade do envelhecimento: velhices pretas; velhices quilombolas; velhices indígenas; velhices LGBTQ+; velhices fragilizadas; velhices masculinas; velhices periféricas; intergeracionalidade dentro da velhice; e envelhecimento e deficiência.

e) Feminização da velhiceO envelhecimento feminino na sociedade brasileira. Condições de trabalho e vulnerabilidade das mulheres idosas. Mulheres e o enfrentamento dos preconceitos com relação à idade, raça/cor, renda e gênero. Papéis sociais de gênero no cotidiano da vida na velhice. Identidades subjetivas históricas e sociais sobre os papéis das mulheres.

Não perca nenhuma notícia!

Receba cada matéria diretamente no seu e-mail assinando a newsletter diária!

f) Novos modelos de negócio e geração de rendaNegócios dirigidos ao mercado de forma cooperada, associada ou individualmente. Futuro do trabalho. Protagonismo e autonomia financeira. Inserção e reinserção produtiva. Competências e experiências. Economia criativa.

g) Educação e Aprendizagem ao longo da vidaPráticas e experiências de processos de aquisição contínua de conhecimento (no âmbito formal e informal), aperfeiçoamento e habilidades, e seus impactos em todos os domínios da vida.

Sobre o orçamento
O pesquisador poderá colocar o valor do seu trabalho no orçamento assim como destinar parte do apoio recebido para gastos diretamente ligados à realização da pesquisa proposta, como por exemplo: material permanente, material de consumo, serviços de terceiros, despesas de transporte, entre outros. O pesquisador deve descrever detalhadamente todos os itens de acordo com os objetivos da pesquisa.

O pesquisador deve também, necessariamente, prever gastos para participação em evento presencial em São Paulo, com duração de dois dias e também para despesas decorrentes do pagamento do apoio.

Parecer do Comitê de Ética
No ato da inscrição o proponente deve enviar o parecer de aprovação do Comitê de Ética se assim o projeto demandar e o proponente já ter posse do documento. Caso não tenha ainda o parecer de aprovação, o proponente deve encaminhar o comprovante de submissão do projeto ao Comitê de Ética. Aqueles que enviarem o comprovante de submissão devem voltar à plataforma até a data limite de 15/05/2024 e subir o parecer com aprovação, sob pena de desclassificação.

Supervisão
A supervisão será mensal, a partir da entrega de relato escrito e foto com os avanços do projeto e da participação de workshop online para compartilhar os avanços e desafios a serem enfrentados pelo projeto junto aos demais pesquisadores. Os pesquisadores devem seguir o cronograma de execução aprovado e desenvolverem os produtos especificados para suas categorias.

Apoios
Os apoios concedidos serão pagos pelo Portal do Envelhecimento. O proponente poderá providenciar seu CNPJ enquanto MEI (Micro Empreendedor Individual) e emitir as Notas Fiscais solicitadas ou alternadamente demonstrar seu interesse pelo Recibo de Pagamento Autônomo (RPA). No orçamento deve estar previsto os gastos decorrentes desta formalização e os tributos previstos para a modalidade escolhida.

Critérios de avaliação
Os projetos serão avaliados com base nos seguintes critérios:
– Articulação do texto
– Fundamentação teórica
– Metodologia clara e explicitada
– Formas de análises bem desenvolvidas
– Consistência interna
– Adequação da proposta às linhas de pesquisa estabelecidas no edital
– Inovação na abordagem e nos procedimentos de investigação
– Potencial de impacto acadêmico e social
– Orçamento com justificativa clara e detalhada para todos os gastos previstos

Serviço
3ª edição do Edital Acadêmico de Pesquisa “Envelhecer com futuro”
Site:  https://longeviver.com/conecta/edital-itau-pesquisa-2023.php
Encerramento das inscrições: 22/12/2023
Início da pesquisa: 26/02/2024
Término da pesquisa: 31/10/2024
Divulgação dos projetos selecionados: 16/02/2024
Dúvidas em relação ao Edital podem ser encaminhadas para os e-mails:
[email protected] ou [email protected]
Também pelo número de WhatsApp: 11 93225-3060

Conheça as edições anteriores do Edital Acadêmico de Pesquisa “Envelhecer com Futuro” aqui


Beltrina Côrte

Jornalista, Especialização e Mestrado em Planejamento e Administração do Desenvolvimento Regional, Doutorado e Pós.doc em Ciências da Comunicação pela USP. Estudiosa do Envelhecimento e Longevidade desde 2000. É docente da PUC-SP. Coordena o grupo de pesquisa Longevidade, Envelhecimento e Comunicação, e é pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisa do Envelhecimento (NEPE), ambos da PUC-SP. CEO do Portal do Envelhecimento, Portal Edições e Espaço Longeviver. Integrou o banco de avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – Basis/Inep/MEC até 2018. Integra a Rede Latinoamericana de Psicogerontologia (REDIP). E-mail: [email protected]

Compartilhe:

Avatar do Autor

Beltrina Côrte

Jornalista, Especialização e Mestrado em Planejamento e Administração do Desenvolvimento Regional, Doutorado e Pós.doc em Ciências da Comunicação pela USP. Estudiosa do Envelhecimento e Longevidade desde 2000. É docente da PUC-SP. Coordena o grupo de pesquisa Longevidade, Envelhecimento e Comunicação, e é pesquisadora do Núcleo de Estudos e Pesquisa do Envelhecimento (NEPE), ambos da PUC-SP. CEO do Portal do Envelhecimento, Portal Edições e Espaço Longeviver. Integrou o banco de avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – Basis/Inep/MEC até 2018. Integra a Rede Latinoamericana de Psicogerontologia (REDIP). E-mail: [email protected]

Beltrina Côrte escreveu 110 posts

Veja todos os posts de Beltrina Côrte
Comentários

Os comentários dos leitores não refletem a opinião do Portal do Envelhecimento e Longeviver.

LinkedIn
Share
WhatsApp
Follow by Email
RSS