“Velhices”, documentário mostra imagens da velhice de jovens e adultos

As vozes, os gestos e as palavras compõem as histórias do documentário em que seus realizadores se aproximaram para pensar a velhice. Quando começa? Quanto está presente o medo da solidão? Nos vimos como velhos? Essas e outras perguntas sobre a velhice foram respondidas por jovens e adultos.

Por Natalia Muñiz (*)


O documentário “Velhices” (Vejeces), recém lançado na Argentina, mostra pessoas entre 20 e 55 anos falando sobre o que pensam dessa etapa da vida, como a imaginam para si, quais medos são mais frequentes, seus preconceitos e suas expectativas. Trata-se de um documentário que investiga o que as gerações jovens e adultas pensam da velhice. Foi apresentado para um grande número de pessoas idosas no Auditório do AMIA Cultural, em Buenos Aires (Argentina) e logo após os idosos espectadores foram convidados a opinar e conversar com os realizadores da produção audiovisual: o psicogerontólogo Alejandro Burlando Páez e a cineasta Lucía Paz.

“A ideia era criar um material audiovisual para disseminar questões relacionadas ao envelhecimento, voltadas para outras gerações. O objetivo era investigar as visões que eles têm sobre a velhice”, afirmou Burlando Páez em declarações à imprensa. Ele também é o coordenador geral do Programa Gerontológico de Saúde (PROGESA).

O profissional afirmou que, nas entrevistas, houve comentários que variavam entre “Não consigo imaginar (minha própria velhice) ou imaginar de uma certa maneira”. Para Burlando Páez, o que é necessário promover é que a velhice não precisa ser um lugar igual, mas diverso; entender que pode haver muitas velhices porque há muitas maneiras de se viver. Nesse sentido, ele observou que “um é um, há muitas subjetividades, e é isso que deve ser resgatado: a característica singular” da velhice, a heterogeneidade dessa etapa do ciclo da vida. E ele apontou que uma das chaves é que “a arte serve para começar a gerar outras perspectivas sobre a velhice”.

Em relação à produção, o psicogerontólogo enfatizou que no final de 2017 eles começaram com a pré-produção. “Em março de 2018, as entrevistas foram gravadas e, em seguida, todo o longo período de edição ocorreu porque havia 15 horas de material bruto e transformá-lo em um material de 30 minutos levou muito tempo. Foram realizadas 23 entrevistas com pessoas entre 20 e 55 anos de idade, das quais ficaram de fora 18 delas”, afirmou.

Manter-se ativo

No documentário que apresenta entrevistas a jovens e adultos, houve quem dissesse que não imaginava a própria velhice, que começou a pensar quando seus pais chegaram a esse estágio, que recorreu à memória de seus avós, e outros disseram que a pessoa é a mesma ao longo da vida. Também apareceram questões sobre mudanças corporais, passagem do tempo, estereótipos, medos, solidão, sexualidade, meio ambiente.

Recebe as últimas notícias!

Não perca nenhuma notícia, receba cada matéria diretamente no seu e-mail!

Junte-se a 89 outros assinantes

Após a projeção, o público idoso deu a devolutiva: “Eu senti que eles estavam falando de mim, nem toda a velhice é a mesma”, “você tem que aproveitar o que tem nessa idade”, “você tem que viver o presente”, “há pessoas na faixa dos 80 que são percebidas como 50, ou 65 a partir dos 40”, “a coisa mais importante que tenho no dia a dia é que me olho no espelho e me reconheço como sou”.

Eles também expressaram a importância de permanecer ativos, fazer cursos, expandir redes e promover relacionamentos intergeracionais. “Os jovens têm dúvidas, temos respostas”, foi um dos comentários. Assim como derrubaram preconceitos em relação à sua sexualidade.

Ficha técnica
Título: Vejeces
Año: 2019
Género: Documental
Duración: 30 minutos
País: Argentina
Dirección: Lucía Paz
Producción: Alejandro Burlando Páez, Lucía Paz
Guión: Alejandro Burlando Páez, Lucía Paz, Franco Saffeni
Cámara: Ariadna Hereter
Dirección de sonido: Tomás Ramos
Montaje: Franco Saffeni
Edición de color: Francisco Iurcovich

(*) Natalia Muñiz – Jornalista do Diário Popular da Argentina. Matéria publicada em 15 de dezembro de 2019. Fotos: Diário Popular.


Esta oficina é dirigida principalmente para organizações comunitárias e Instituições Filantrópicas que já atuam com o segmento idoso, interessadas em saber como participar de editais, assim como interessados de maneira geral.

Inscrições: https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/oficina-como-ler-um-edital-de-chamamento-e-elaborar-projetos-sociais/

Portal do Envelhecimento

Compartilhe:

Avatar do Autor

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento escreveu 4212 posts

Veja todos os posts de Portal do Envelhecimento
Comentários

Os comentários dos leitores não refletem a opinião do Portal do Envelhecimento e Longeviver.

Descubra mais sobre Portal do Envelhecimento e Longeviver

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading