Por ser mulher

Por ser mulher

Não precisa ser forte para compreender e amar uma mulher. Melhor ser tímido, silencioso, inteligente, afetivo e carinhoso.


A cada mulher há sempre uma história, uma poesia e uma crônica marcante, um acalento. Uma fotografia. A mulher está sempre de mãos dadas com ela mesma, sobre enormes saltos altos, sempre. Ali, do alto, contempla sua própria beleza. Ela é forte, única. Ninguém poderá atingi-la quando está sobre o mais alto de todos os saltos: os prateados, vermelhos, azuis, pretos ou os dourados da sua existência, lógica, lágrima ou sorriso. Nunca desce da própria elegância, sensatez e inteligência. Nem a própria timidez a obriga.

Mulher determina seu tempo e espaço. Transforma tudo em nostalgia, alegria e felicidade. Volta, com muitas emoções, ao passado e chega plena ao futuro. Provoca emoção e constrói amor, inclusive. Mulher sabe subdimensionar as dores. Única em perceber, sentir a dor alheia e colocar “opioides” precisos.

Chega ao infinito com seu infindável e inquestionável, não! Em silêncio, paralisa o tempo. A fluidez do corpo feminino atravessa décadas e espaço. Mesmo com cabelos desgrenhadas e roupas caseiras, em noites que ficaram velhas, faz tremer corpos e secar bocas: cria-se a urgente necessidade de um Tannat.

Confunde-se a água, dilui-se em aromas, para o tempo exatamente onde ela se encontra. Mesmo quando, casualmente amada, atravessam-se décadas sem precisar levar um segundo de nenhuma de todas aquelas noites. Deixa ao vazio a responsabilidade de contar a história, pensar e falar sobre cada emoção. Nada mais poderá ser alterado.

A solidez feminina é indestrutível, irretocável. Nada poderá transmutar suas certezas, dúvidas construídas por toda sua vida. A incapacidade em compreendê-las está diretamente ligada à incapacidade orgânica de não saber perceber e sentir a sutileza da alma e a leveza do corpo da mulher.

Recebe as últimas notícias!

Não perca nenhuma notícia, receba cada matéria diretamente no seu e-mail!

Foto: Alcides Freire Melo

Somente seres “maiores”, sensatos, carinhosos e inteligentes conseguem conhecer, amar, aceitar e compreender a essência de uma mulher. Nada, absolutamente nada no mundo amanhece como uma mulher. Com ela amanhecem o perfume de uma noite, a preguiça de uma paixão, a ternura e beleza da nudez nas águas de uma cachoeira no Alto Paraíso de Goiás, gravados em P&B numa fotografia impressionista.

Não precisa ser forte para compreender e amar uma mulher. Melhor ser tímido, silencioso, inteligente, afetivo e carinhoso.

Foto destaque de Bellikins/Pexels


Alcides Freire Melo

Repórter fotográfico e cronista em diferentes periódicos. No Portal colabora com crônicas e fotos. Email: [email protected]

Compartilhe:

Avatar do Autor

Alcides Freire Melo

Repórter fotográfico e cronista em diferentes periódicos. No Portal colabora com crônicas e fotos. Email: [email protected]

Alcides Freire Melo escreveu 18 posts

Veja todos os posts de Alcides Freire Melo
Comentários

Os comentários dos leitores não refletem a opinião do Portal do Envelhecimento e Longeviver.

LinkedIn
Share
WhatsApp
Email