O século das avós e dos avôs

O século das avós e dos avôs

O aumento da expectativa de vida e o processo de envelhecimento tem aumentado o volume de avós no mundo: de 500 mil em 1960 para 1,5 bilhão atualmente, triplicando em 60 anos.


O século XXI será o século das avós e dos avôs. O aumento da expectativa de vida e o processo de envelhecimento populacional tem causado a elevação do volume de avós no mundo. A mudança demográfica começou de forma lenta no século passado, mas tem ganhado ritmo no atual século.

As pessoas vivem duas décadas a mais do que viviam em 1950 e é cada vez mais comum a convivência sincrônica de famílias multigeracionais, mesmo vivendo em diferentes domicílios. Há muito mais avós nos arranjos familiares, embora tenha, em média, cada vez menos netos para cuidar.

Em meados do século XX, a idade mediana da população mundial era de somente 21 anos e cerca de 74% dos habitantes do Planeta tinham menos de 40 anos. Em 2022, a idade mediana já tinha passado para 30 anos e 63% dos habitantes tinham menos de 40 anos. Mas as projeções da Divisão de População da ONU indicam que a idade mediana da população mundial será de 42 anos em 2100, quando 46% dos habitantes terão menos de 40 anos.

O gráfico abaixo mostra os grupos populacionais para a população mundial de 40 anos em diante de 1950 a 2100. A população mundial era de 2,5 bilhões de habitantes em 1950, sendo que o grupo etário de 40 a 49 anos era constituído por 269 mil pessoas, o grupo de 50-59 anos tinha 190 mil pessoas, o grupo etário 60-69 anos tinha 124 mil  pessoas e o grupo etário de 70 anos e mais de idade possuía somente 75 mil pessoas. As projeções para 2100 indicam que os 3 grupos decenais vão crescer e se aproximar, mas o grupo de 70 anos e mais de idade vai superar em muito os demais grupos. A população total está estimada em 10,3 bilhões de habitantes em 2100, sendo 1,25 bilhão de pessoas tanto no grupo 40-49 anos, quanto no grupo 50-59 anos,  1,157 bilhão no grupo 60-69 anos e 1,926 bilhão no grupo 70 anos e mais.

No final do século XXI, mais da metade da população global será composta por pessoas acima de 40 anos, sendo que 30% dos habitantes do mundo serão idosos de 60 anos e mais de idade. Entre os idosos vai predominar as mulheres como mostrei no artigo “A feminilização do envelhecimento populacional no Brasil e no mundo”, publicado aqui no Portal do Envelhecimento (Alves, 07/10/2022) e haverá um aumento da idade média dos idosos como mostrei no artigo “O envelhecimento do envelhecimento no Brasil e no mundo” (ALVES 30/08/2022).

Evidentemente, crescendo o número de idosos, cresce também o número de avôs e, principalmente, de avós. Não existem estatísticas oficiais sobre o número de avós no mundo. Mas a revista britânica The Economist, publicou o artigo “The glory of grandparents” (16/01/2023), onde apresenta o resultado de uma pesquisa que indica que o número de avós era de cerca de 500 mil em 1960 e passou para 1,5 bilhão atualmente, triplicando em 60 anos. A proporção de avós para crianças menores de 15 anos saltou de 0,46 em 1960 para 0,80 no período.

Os estudos indicam que o apoio dos avós aumenta o bem-estar das famílias. As mães trabalhadoras que contam com o apoio dos avós, especialmente da avó, conseguem ganhos salariais mais elevados. Os cuidados propiciados pelos avós também é bom para os netos. Em geral, a presença de uma avó reduz a mortalidade infantil e melhora o desempenho escolar das crianças. Ou seja, na média, a convivência intergeracional é benéfica para toda a família e também para o país.

Foto: Los Muertos Crew/pexels

O número de parentes usufruindo a convivência simultânea de filhos/netos, pais e avós cresceu nas últimas décadas por conta do aumento da expectativa de vida e deve aumentar ainda mais no restante do século XXI, por conta do envelhecimento populacional global. Desta forma, as famílias com avós vivos devem comemorar a possibilidade de um convívio saudável, próspero e feliz.

Referências
ALVES, JED. As projeções populacionais da ONU indicam a retomada do aumento da expectativa de vida, Portal do Envelhecimento, 11/07/2022 https://www.portaldoenvelhecimento.com.br/as-projecoes-populacionais-da-onu-indicam-a-retomada-do-aumento-da-expectativa-de-vida/

Recebe as últimas notícias!

Não perca nenhuma notícia, receba cada matéria diretamente no seu e-mail!

Junte-se a 92 outros assinantes

ALVES, JED. Os 12 países com maior quantidade de idosos no século XXI, Portal do Envelhecimento, 05/08/2022 https://www.portaldoenvelhecimento.com.br/os-12-paises-com-maior-quantidade-de-idosos-no-seculo-xxi/

ALVES, JED. O envelhecimento do envelhecimento no Brasil e no mundo, Portal do Envelhecimento, 30/08/2022 https://www.portaldoenvelhecimento.com.br/o-envelhecimento-do-envelhecimento-no-brasil-e-no-mundo/

ALVES, JED. A feminilização do envelhecimento populacional no Brasil e no mundo, Portal do Envelhecimento, 07/10/2022 https://www.portaldoenvelhecimento.com.br/a-feminilizacao-do-envelhecimento-populacional-no-brasil-e-no-mundo/

ALVES, JED. 8 bilhões de habitantes e 1,1 bilhão de idosos no mundo, Portal do Envelhecimento, 14/11/2022 https://www.portaldoenvelhecimento.com.br/8-bilhoes-de-habitantes-e-11-bilhao-de-idosos-no-mundo/

The Economist. The glory of grandparents, 16/01/2023
https://www.economist.com/leaders/2023/01/16/the-glory-of-grandparents

ALVES, JED. Demografia e Economia nos 200 anos da Independência do Brasil e cenários para o século XXI (com a colaboração de GALIZA, F), ENS, maio de 2022 https://ens.edu.br:81/arquivos/Livro%20Demografia%20e%20Economia_digital_2.pdf

Foto destaque de Gabriel Frank/pexels.


https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/novo/cursos/cuidador-ilpi/

José Eustáquio Diniz Alves

Doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas - ENCE/IBGE. Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: [email protected]. Link do CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2003298427606382E-mail: [email protected]

Compartilhe:

Avatar do Autor

José Eustáquio Diniz Alves

Doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas - ENCE/IBGE. Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: [email protected]. Link do CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2003298427606382E-mail: [email protected]

José Eustáquio Diniz Alves escreveu 38 posts

Veja todos os posts de José Eustáquio Diniz Alves
Comentários

Os comentários dos leitores não refletem a opinião do Portal do Envelhecimento e Longeviver.

Descubra mais sobre Portal do Envelhecimento e Longeviver

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading