A desigualdade de gênero na juventude traduz-se em desigualdades na velhice

A desigualdade de gênero na juventude traduz-se em desigualdades na velhice

A desigualdade de gênero tem um impacto real na pobreza na velhice.


Estamos finalizando março, considerado o mês em que se celebra a mulher, começando pelo dia 8, Dia Internacional da Mulher. Que tal aproveitarmos este finalzinho de mês para lançarmos luz sobre a situação das mulheres idosas? Na verdade, como o apelo por mais igualdade de gênero é prontamente partilhado por muitas pessoas, a realidade do progresso é mais sombria, como mostra o Índice de Igualdade de Gênero 2023, indicando um progresso lento, embora tenha atingido um máximo histórico em 2023. O Índice de Igualdade de Gênero atribui à União Europeia e aos Estados-Membros uma pontuação de 1 a 100, sendo que uma pontuação de 100 significa que um país alcançou a plena igualdade entre mulheres e homens.

A situação das mulheres idosas é semelhante. Há uma disparidade nas aposentadorias entre mulheres e homens de 27%. Isto levou a Presidência belga do Conselho da União Europeia a realizar uma conferência específica a respeito do tema, na qual participou Heidrun Mollenkopf, presidente da AGE Platform Europe (rede europeia de organizações sem fins lucrativos de e para pessoas idosas) que, na ocasião apontou que “A pobreza entre as mulheres mais velhas é resultado de desigualdades no agregado familiar, no mercado de trabalho e nas instituições estatais”.

Só quando se olha para as aposentadorias é que nos damos conta de como as causas da diferença de rendimentos entre mulheres e homens estão enraizadas na participação desigual no mercado de trabalho e, em particular, no tempo dedicado ao cuidado de crianças, pessoas com deficiência e idosos. Isto cria uma lacuna nas horas trabalhadas, que estão relacionadas com os rendimentos das pensões e aposentadorias. A segregação de gênero nas profissões – com profissões mais bem remuneradas exercidas predominantemente por homens – e a disparidade salarial entre homens e mulheres também desempenham um papel importante.

O Índice de Igualdade de Gênero 2023 aponta que a diferença nas taxas de pobreza entre mulheres e homens com mais de 65 anos na comunidade europeia é a mais elevada de todos os grupos etários, ascendendo a 5 pontos percentuais em 2021. Os rendimentos médios mensais das mulheres com mais de 65 anos são 35% inferiores aos rendimentos dos homens. Muitas mulheres não estão em risco de pobreza porque formam um agregado familiar com um cônjuge com melhores rendimentos. Contudo, como a esperança de vida das mulheres é maior do que a dos homens, a sua situação financeira pode piorar mais tarde na vida, quando seus parceiros falecem mais cedo. De acordo com o Índice de Igualdade de Gênero 2023, outros aspectos da desigualdade também persistem na idade avançada: menos mulheres idosas (65+) gozam de boa saúde, mais mulheres idosas têm necessidades não satisfeitas de cuidados médicos.

Há como reduzir a pobreza na velhice e a disparidade de gênero nas aposentadorias

Na Conferência de alto nível sobre Disparidades de Gênero foi perguntado à Presidente da AGE, Heidrun Mollenkopf, como é que a pobreza na velhice pode ser evitada. Ela enfatizou que, antes de mais nada, as aposentadorias precisam ser adequadas para todos, a fim de garantir uma vida digna na velhice – mesmo para aqueles que não conseguiram receber contribuições sociais suficientes durante a sua vida profissional. Isto apoiará principalmente as mulheres mais velhas.

Em segundo lugar, é importante que o trabalho de cuidados não remunerado, muitas vezes realizado por mulheres, seja adequadamente compensado nos regimes de aposentadorias, dando crédito a este serviço prestado à sociedade. Segundo Mollenkopf, “Isto é necessário porque mesmo com uma rápida expansão e melhoria dos serviços de cuidados, muitas mulheres continuarão prestando cuidados informais à custa das suas carreiras”.

Uma compensação adequada pelos cuidados informais também pode ajudar a incentivar os homens a assumirem o trabalho de cuidados, reduzindo os desequilíbrios de gênero. As regras europeias existentes sobre o equilíbrio entre vida profissional e pessoal constituem um primeiro passo, mas não vão suficientemente longe neste aspecto, especialmente no que diz respeito aos cuidados a pessoas com deficiência ou a pessoas que necessitam de cuidados, como pessoas idosas com idade mais avançada. Mollenkopf também enfatizou que as condições de trabalho precisam mudar para permitir trabalhar e constituir família ao mesmo tempo.

Recebe as últimas notícias!

Não perca nenhuma notícia, receba cada matéria diretamente no seu e-mail!

Junte-se a 95 outros assinantes

A estratégia de cuidados da União Europeia deve proporcionar serviços de cuidados de melhor qualidade para crianças e pessoas que necessitam de cuidados, melhorando o acesso e a acessibilidade destes serviços. Isto requer investimentos e esforços por parte dos Estados-Membros, pelo que é apenas um ponto de partida.

No entanto, estas medidas só são eficazes para as mulheres que ainda não reduziram o seu tempo de trabalho para prestar cuidados. Por conseguinte, as aposentadorias e pensões devem continuar a ser pilares importantes para proteger as mulheres idosas da pobreza. A nível nacional, é também importante olhar para as leis relativas ao divórcio, para que não só a riqueza e as pensões alimentares para cuidados aos filhos sejam partilhadas de forma justa no momento do divórcio, mas também os direitos de pensão legais e complementares relativos ao período de vida comum.

Conferência sobre o Estatuto da Mulher

Em março também foi realizada a 68ª Comissão Anual sobre o Estatuto da Mulher (CSW68), o maior encontro anual da ONU sobre igualdade de gênero e empoderamento das mulheres. O evento, realizado de 11 a 22 de Março abordou a pobreza entre as mulheres. Uma ocasião importante para realçar que a pobreza na velhice ainda atinge as mulheres mais velhas na Europa, estando uma em cada quatro mulheres com mais de 75 anos e uma em cada cinco mulheres com mais de 55 anos em risco de pobreza e exclusão social. O tema prioritário da CSW68 foi “Acelerar a concretização da igualdade de gênero e o empoderamento de todas as mulheres, combatendo a pobreza e fortalecendo as instituições e o financiamento com uma perspectiva de gênero”.

Fonte: AGE – Platform Europe

Ilustrações extraídas do site da 68ª sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher.


Portal do Envelhecimento

Compartilhe:

Avatar do Autor

Portal do Envelhecimento

Portal do Envelhecimento escreveu 4215 posts

Veja todos os posts de Portal do Envelhecimento
Comentários

Os comentários dos leitores não refletem a opinião do Portal do Envelhecimento e Longeviver.

Descubra mais sobre Portal do Envelhecimento e Longeviver

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading