Acupuntura: benefícios à saúde da pessoa idosa

Acupuntura: benefícios à saúde da pessoa idosa

Para a OMS, a acupuntura é considerada uma terapia complementar, indicada para o tratamento de cerca de 300 doenças, tais como enxaquecas, problemas gastrointestinais, alergias, dores agudas, dores crônicas e sofrimento psicológico.

Em colaboração com Larissa Silva Costa (*)


A acupuntura é um método da Medicina Tradicional Chinesa, utilizado há, pelo menos, seis mil anos. É prática que objetiva a manutenção da saúde por meio de estímulo a pontos específicos do corpo, buscando a integração corpo e mente e a promoção do equilíbrio e bem-estar do organismo. Documentos revelam seu uso por antigos habitantes das regiões centrais da China com a finalidade de analgesia, através de mecanismos relacionados à contrairritação. Com o decorrer do tempo, foi incorporando novas técnicas e teorias. Assim, a prática realizada na contemporaneidade correlaciona o conhecimento anatômico e fisiológico do corpo humano com a percepção chinesa da rede de circulação de força vital designada Qi.

A prática é realizada no mundo todo, tendo em vista a simplicidade da técnica, sua eficácia e rapidez de efeitos. No Brasil, por influência da imigração asiática, começou a ser praticada por volta de 1810 e, em 1950, foi fundado o Instituto Brasileiro de Acupuntura, atualmente Associação Brasileira de Acupuntura.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a acupuntura é considerada uma terapia complementar, indicada para o tratamento de cerca de 300 doenças, tais como enxaquecas, problemas gastrointestinais, alergias, dores agudas, dores crônicas e sofrimento psicológico.

A técnica baseia-se na inserção de agulhas em pontos anatômicos específicos do corpo, objetivando a produção de efeito terapêutico e analgésico. Esses pontos específicos, denominados acupontos, são pontos com sensibilidade ao estímulo e à resistência elétrica reduzida, localizados próximos às articulações, tendões, vasos, nervos, nos locais de maior diâmetro muscular e nas regiões de penetração dos feixes nervosos da pele.

Os acupontos estão distribuídos em doze linhas denominadas meridianos, que contemplam órgãos como coração, fígado, baço-pâncreas, pulmão, estômago, rim, circulação-sexo, intestino delgado, vesícula biliar, intestino grosso, bexiga e triplo aquecedor. Desta forma, apresentam-se no sentido vertical, originando pares simétricos, faces dorsal e ventral da superfície corporal.

Fonte:  Meridianos do corpo. https://estudandomtc.com/meridianos-extraordinarios-metodos-de-aplicacao

A acupuntura destaca-se por estimular diversas respostas biológicas, favorecendo o bem-estar e melhora na qualidade de vida. As respostas decorrem de efeitos dos estímulos provocados pelo acupunturista nos acupontos e que são transmitidos e atuam tanto no sistema nervoso periférico quanto central. Assim, há ação na medula espinhal, tronco cerebral, córtex cerebral e no sistema límbico, levando à liberação de substâncias no organismo denominadas neuro mediadores, tais como endorfinas, óxido nítrico, serotonina, além de hormônios reguladores que auxiliam nos processos de analgesia e na modulação da dor. Esta ação leva a modificação da circulação sanguínea por meio de micro dilatações, relaxamento muscular, melhora em processos inflamatórios e dolorosos e regularização e recuperação de funções orgânicas;

A acupuntura não envolve apenas as técnicas de agulhamento, mas possui uma diversidade de recursos terapêuticos e tecnológicos: ventosaterapia (utiliza o vácuo), moxabustão (emprega calor), eletroacupuntura (usa ultrassom), infravermelho, moxa elétrica, acupressão (pressão nos acupontos), entre outros recursos, todos permitindo a estimulação dos pontos.

Recebe as últimas notícias!

Não perca nenhuma notícia, receba cada matéria diretamente no seu e-mail!

Junte-se a 95 outros assinantes

No Brasil, houve difusão da acupuntura nos serviços de saúde, além de indicada para o manejo de dores agudas e crônicas, tais como lombalgias, cefaleias, dor pélvica e cervical, buscando melhora da qualidade de vida. Por apresentar efeitos de diminuição da ansiedade e antidepressivos, pode auxiliar na melhora na qualidade do sono, estados emocionais mais positivos e sensações de euforia e relaxamento.

Estudos demonstram ainda a eficácia da acupuntura como terapia complementar no controle e melhora de sintomas da doença de Parkinson, ação que decorre do aumento do fluxo sanguíneo e estimulação nas áreas cerebrais relacionadas à fala e coordenação motora, propiciando também a diminuição dos tremores. Ainda, estudos sugerem que essa terapia tenha efeitos neuroprotetivos e anti-inflamatórios.

É preciso salientar que a OMS desde 1979 orienta a acupuntura como tratamento complementar na reabilitação pós acidente vascular encefálico (derrame cerebral), principalmente, a partir do uso da eletroacupuntura.

A acupuntura tem sido cada vez mais buscada e indicada pelos profissionais, principalmente pelos geriatras, por ser uma alternativa que permite a diminuição da medicalização do indivíduo, o que diminui os riscos de reações adversas aos medicamentos, melhorando direta e indiretamente, portanto, a qualidade de vida.

Referências
LOPES, Mayara Aparecida et al. Uso da acupuntura na dor. Acta Elit Salutis, Paraná, v. 1, n. 1, p. 1-31. nov/dez. 2019. Disponível em: < http://e-revista.unioeste.br/index.php/salutis/article/view/23689/14974>.
MOLIN, Letícia Souza Zambrano. A Acupuntura na Qualidade de Vida da Terceira Idade – Uma Revisão Bibliográfica Narrativa. / Letícia Souza Zambrano Molin. – Porto Alegre – RS: Grupo Hospitalar Conceição, 2013. 25 f.: il. Trabalho de Conclusão de Curso (Pós-Graduação) – Especialização em Gestão da Atenção à Saúde do Idoso. Grupo Hospitalar Conceição – GHC. Disponível em: < http://coleciona-sus.bvs.br/lildbi/docsonline/get.php?id=712>.
OLIVEIRA, Filipe da Silva Batista de. Tratamento da dor crônica por meio da acupuntura – revisão literária. Disponível em: < https://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/17/76_-_Tratamento_da_dor_crYnica_por_meio_da_acupuntura_Y_revisYo_literYria.pdf>.
SCOGNAMILLO-SZABÓ, Márcia Valéria Rizzo; BECHARA, Gervásio Henrique. Acupuntura: bases científicas e aplicações. Ciência Rural, Santa Maria, v.31, n.6, p. 1091-1099, nov. 2003. Disponível em: < https://www.scielo.br/j/cr/a/RDYHgzW8gQPp5zhn7VytrdJ/?lang=pt#:~:text=A%20acupuntura%20visa%20%C3%A0%20terapia,e%20linguagem%20da%20cultura%20ocidental>.
TAFFAREL, Marilda Onghero; FREITAS, Patricia Maria Coletto. Acupuntura e analgesia: aplicações clínicas e principais acupontos. Ciência Rural, Santa Maria, v. 39, n. 9, p. 2665-2672., jun. 2009. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0103-84782009000900047>.

(*) Larissa Silva Costa é estudante de do curso de graduação em Enfermagem, do Centro Universitário São Camilo, São Paulo, e estagiária no Programa Bolsa Talento.

Foto destaque de RODNAE Productions/Pexels


ansiedade
https://edicoes.portaldoenvelhecimento.com.br/produto/ansiedade/

Maria Elisa Gonzalez Manso

Médica e bacharel em Direito, pós-graduada em Gestão de Negócios e Serviços de Saúde e em Docência em Saúde, Mestre em Gerontologia Social e Doutora em Ciências Sociais pela PUC SP. Orientadora docente da LEPE- Liga de Estudos do Processo de Envelhecimento e professora titular do Centro Universitários São Camilo. Pesquisadora do grupo CNPq-PUC SP Saúde, Cultura e Envelhecimento. Gestora de serviços de saúde, atua como consultora nas áreas de envelhecimento, promoção da saúde e prevenção de doenças, com várias publicações nestas áreas.

Compartilhe:

Avatar do Autor

Maria Elisa Gonzalez Manso

Médica e bacharel em Direito, pós-graduada em Gestão de Negócios e Serviços de Saúde e em Docência em Saúde, Mestre em Gerontologia Social e Doutora em Ciências Sociais pela PUC SP. Orientadora docente da LEPE- Liga de Estudos do Processo de Envelhecimento e professora titular do Centro Universitários São Camilo. Pesquisadora do grupo CNPq-PUC SP Saúde, Cultura e Envelhecimento. Gestora de serviços de saúde, atua como consultora nas áreas de envelhecimento, promoção da saúde e prevenção de doenças, com várias publicações nestas áreas.

Maria Elisa Gonzalez Manso escreveu 44 posts

Veja todos os posts de Maria Elisa Gonzalez Manso
Comentários

Os comentários dos leitores não refletem a opinião do Portal do Envelhecimento e Longeviver.

Descubra mais sobre Portal do Envelhecimento e Longeviver

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading