Ícone do site Portal do Envelhecimento e Longeviver

Mandalas comestíveis

A mandala é um elemento milenar com inúmeras interpretações e usos, e o significado comum é o bem. Aqui o foco é a consciência em consumo alimentar


Sempre gostei de mandalas e de estudar sobre esse tema. Há várias áreas do conhecimento que utilizam a mandala como base de estudos e trabalho. Eu, como educadora, na minha missão de vida “educar com alimentos”, tenho algumas apresentações específicas com mandalas e a arte culinária.

O significado de uma mandala pode variar dependendo do contexto cultural, religioso ou pessoal em que é utilizado. No geral, as mandalas são frequentemente associadas a conceitos como totalidade, equilíbrio, harmonia, integração e espiritualidade. Por isso, as mandalas são usadas como símbolos de conexão com o divino, meditação e busca de harmonia interior, em muitas tradições espirituais. Elas podem representar a jornada espiritual, a unidade entre o indivíduo e o cosmos, e a busca da iluminação.

Nesse sentido, a mandala é vista como uma representação do universo, onde o centro representa o ponto de origem, a criação, ou o eu interior. A partir desse centro, os elementos se estendem em camadas concêntricas, refletindo a expansão e a conexão com o mundo exterior.

Foto de Mikhail Nilov/pexels

Origem da mandala

Uma mandala é uma representação complexa, geralmente simétrica, que se origina do sânscrito e significa “círculo” ou “disco”. Ela é uma forma de arte visualmente atraente e pode ser encontrada em diversas culturas e tradições culturais ao redor do mundo. As mandalas são compostas por padrões concêntricos e repetitivos, normalmente organizados em torno de um ponto central. Elas podem ser pintadas, bordadas, esculpidas ou mesmo construídas com materiais diversos, como areia colorida e alimentos.

Essas formas de arte são usadas em práticas meditativas, nas quais uma pessoa pode se concentrar na mandala para alcançar um estado de calma e introspecção. Acredita-se que a contemplação de uma mandala pode ajudar na concentração, no equilíbrio emocional e até mesmo na cura. Além de seu uso espiritual, as mandalas também são apreciadas por sua beleza estética e podem ser encontradas em várias formas de expressão artística, como pinturas, joias, tatuagens e decoração de interiores.

Em resumo, uma mandala é uma representação visualmente atraente e acompanhada, composta por padrões geométricos concêntricos, que tem significados espirituais profundos e é usada como uma ferramenta de meditação e contemplação.

As primeiras mandalas de que se tem registro são do século VIII e eram usadas como instrumentos de meditação no Tibete. É característica da cultura não apenas tibetana, mas também budista e hindu. No Extremo Oriente, a maior associação das mandalas é com o sagrado. Elas fazem parte de rituais de cura e de orações.

Na sociedade ocidental, as mandalas podem ser vistas com facilidade compondo vitrais de igrejas católicas. Além disso, elas fizeram parte da arte sacra que se destacou no final da Idade Média, do século XVI ao XVIII.

O significado comum é o bem

A mandala é um elemento milenar com inúmeras interpretações e usos, e o significado comum é o bem. De bem com a vida e com o que nos rodeia. Vivemos momentos diários de estresse, incertezas e crescente ansiedade, e algo tão aparentemente insignificante como uma mandala pode fazer a diferença em nossa energia e dar sentido à nossa vida.

As mandalas podem equilibrar, acalmar, inspirar e acelerar muitos de nossos planos e sonhos e olhar para o mundo que nos rodeia. Elas exteriorizam o que passa na alma, nos conectando com o cosmos. São muito usadas para meditação, atrair abundância material e sorte nos negócios, amenizar as dificuldades, captar energia, harmonizar o ambiente e transformar vibrações negativas em positivas.

Entre os mais frequentes usos das mandalas estão os relacionados com a psicologia das cores. Essa corrente afirma que cada cor é capaz de evocar determinadas sensações. É por isso que a mandala é muito utilizada na decoração como forma de trazer equilíbrio ao ambiente, em psicoterapia e muitas outras áreas do conhecimento. Confira alguns estudos com relação à cores:

Vermelho: amor, excitação, paixão, energia, coragem, criatividade, estimulante.
Amarelo / Dourado: ativadora da mente, positividade, otimismo, descontração, alegria, calor.
Laranja: dá energia; amarelo, da alegria.
Verde: saúde, paz, cura, tranquilidade, esperança, longevidade, vitalidade (mistura do azul e amarelo, traz as características dessas cores).
Violeta: da religiosidade.
Rosa: amor, ternura, romantismo, feminilidade.
Roxo / Lilás / Violeta: espiritualidade, inspiração, equilíbrio, mudanças. religiosidade.
Azul: calma, segurança, tranquilidade, serenidade, harmonia, esperança, confiança, sabedoria.
Branco: pureza, paz, inocência, limpeza (junção de todas as cores funcionando como equilibradora).  E brilho.
Cinza / Prata: neutralidade, estabilidade, modernidade, autocontrole, serenidade.
Marrom: maturidade, serenidade, integridade, responsabilidade, disciplina, simplicidade.
Preto: sofisticação, respeito, luto.

Como criar mandalas 

O princípio básico é o centro, a partir do qual tudo se desenrola de uma forma ordenada e circular. Logo, basta desenhar um quadrado, sinalizar o centro e desenhar uma circunferência. A partir deste momento tudo o que colocar dentro do limite do círculo deve estar relacionado com o centro e serve para um olhar para o mesmo ou a partir dele.

Há vários tipos de mandalas e inúmeras interpretações. Alguns exemplos: 
Mandala do amor / Relacionamento
Mandala da Prosperidade
Mandala da Saúde / Harmonia
Mandala da Fé/ da oração, da meditação, pessoal e íntima. 

Em minha prática, o foco priorizado foi a consciência em consumo alimentar, preferencialmente alimentos naturais e, sempre que possível, envolvendo o ato de cozinhar como algo que traga transformação com prazer para uma vida plena com mais saúde e longevidade.

Utilizamos em aula, vários tipos de mandadas, todas com o foco no objetivo central, saúde/qualidade de vida, alimentos frescos procurando ressaltar o máximo de cores, frescor e nutrientes para montagem, reflexões, técnicas de preparos e degustações. Utilizamos também em uma grande mesa na recepção da escola com várias sugestões de mandalas, só de especiarias com aromas e sabores para diferenciar os pratos. Ou seja, uma variedade de pimentas frescas, gengibre, cúrcuma, raiz de açafrão. Mandalas com formas de cocções variadas de legumes com cores marcantes e diferentes nutrientes, frutas com cores e frescor diferenciados e marcantes… Enfim, aguçamos todos a criarem suas próprias mandalas.

Recebe as últimas notícias!

Não perca nenhuma notícia, receba cada matéria diretamente no seu e-mail!

Mandalas comestíveis

Em 2015, desenvolvemos aulas com orientações para alimentação natural e saudável com público muito diverso e interessado, em um projeto junto a um Shopping no Grande ABC/SP, onde havia uma feira de médio porte na sua área externa. No enceramento do ano, trabalhamos o tema Mandalas Comestíveis em formato de guirlandas comestíveis e no final da apresentação presenteamos com lindas e saborosas guirlandas o feirante proprietário da barraca que esteve conosco durante o ano todo no projeto “Cozinhando na Feira”.

Para 2023, as mandalas foram trabalhadas em aula intensiva em parceria com especialista em nutrição comportamental. O lema é Mandalas, Cozinhando com Nutrição Consciente. A arte culinária abraçando cada sabor dos alimentos frescos com suas cores, texturas, aromas, saberes e técnicas diferenciadas para distintos preparos envolvidos no ato de cozinhar. Compartilhamos com vocês as receitas utilizadas:

Sugestões de Mandalas Comestíveis

Mandala guirlanda caprese

Ingredientes:
3 caixinhas de tomate cereja
400 g mini mozarela de búfala (ou comum) em bolinhas
1 maço de alecrim
2 maços de manjericão
Sal
Pimenta
Azeite de oliva
Decoração: Alecrim em galhos para montagem
Palitos para montagens coloridas.

Modo e preparo:
– Corte o tomate cereja ao meio.
– Espete no palito meio tomate cereja, uma folha de manjericão, 1 mini mozarela de búfala, mais uma folha de manjericão e o tomate cereja.
– Regue com azeite, sal e pimenta.
A sugestão poderá ser servida em recipiente forrado com folhas de alecrim apenas para decorar e aromatizar (ou mesmo para prendê-la), mas isso é opcional, se você tiver disponível.

Mandala de legumes assados ou cozidos

Ingredientes
– 1 cenoura cortada em fatias
– 300g de abóbora cabocha (casca escura) cortada
– 3 tomates cortados em 4 pedaços
– 1 cebola cortada grande
– 5 colheres (sopa) de azeite
– Berinjela Finas – Tipo japonesa em rodelas
– Pimentão
Especiarias que gostar: Pimenta, nos moscada, cominho, páprica, orégano, alho e ervas frescas a gosto.
E outros vegetais que estiver disponível.

Modo de Preparo:
1) Higienize e descasque os vegetais e legumes.
2) Corte os legumes do tamanho de preferencia em círculos  e cebola em pétalas e cortar os demais legumes
3) Distribua os legumes na assadeira
4) Tempere com sal, e especiarias que gostar, regue com todo o azeite.
5) Leve ao forno preaquecido a 180ºC por 30 a 40 minutos. Mexa e vire os vegetais na metade do tempo.
6) Retire do forno mexa um pouco com os legumes, se necessário deixe mais alguns minutos.
7) Finalize regando ervas frescas e mais azeite.

Frutas frescas ou grelhadas

Ingredientes:
– Fatias de manga ou melancia
– Pêssegos e damascos frescos
– Frutas frescas que estiverem disponíveis: maçã, fatias locais (regionais)
– Flores da época  
– Mini folhas frescas de hortelã, orégano e tomilho
– Excelente para montagem de pratos de sobremesa.

Modo de preparo:
– Frutas higienizadas e com cortes de acordo com sua guirlanda escolhida.
– Em frigideira ante aderente leve ao fogo e aqueça.
– Coloque as frutas fatiadas. Deixe dourar em ambos os lados.
– Sirva com pratos salgados ou apenas as frutas.

Referências
FERREIRA, L. G. Mandalas pedagógicas no processo ensino-aprendizagem: saberes e sabores na formação docente. Práxis Educacional, 15 (35), 61-76. 2019. DOI: https://doi.org/10.22481/praxisedu.v15i35.5660
Caderno arte de educar: mandala dos saberes metodologia / Associação Casa das Artes de Educação e Cultura. 1. Ed. Rio de Janeiro: Casa da Arte de Educar, 2014. Disponível em: https://suelidelimamoreira.files.wordpress.com/2017/07/caderno-arte-de-educar-mandala-dos-saberes-2014.pdf
Blog: Mandala dos Saberes. Disponível em: https://educacaointegral.org.br/curriculo-na-educacao-integral/wp-content/uploads/2021/11/etapa-7-met-mandala-saberes-cr.pdf
Blog Sabor e Saber Gastronomia: www.saboresabergastronomia.com.br
Vídeo Mandalas. Disponível em: https://videos.sapo.pt/sOLT4K7m4OFngpPocnu0

Fotos: arquivo pessoal


Ana Maria Ruiz Tomazoni

Ana Maria Ruiz Tomazoni - Doutora em Educação (PUC-SP), Mestre em Gerontologia Social (PUC-SP) e Pós-Graduada em Hotelaria e Eventos pelo Senac SP. É fundadora e Diretora Pedagógica da Escola de Gastronomia Sabor & Saber. Atua como docente, educadora alimentar, pesquisadora, escritora e palestrante. É avó de 7 netos e uma eterna aprendiz. E-mail: amrtomazoni@gmail.com. Site: www.saboresabergastronomia.com.br. Facebook Sabor & Saber Gastronomia. Instagram: saboresabergastronomia

Sair da versão mobile